Concluída a primeira etapa do trabalho de transferência de embriões em assentamentos do Pontal do Paranapanema

Dentro das atividades do Programa Cultivando Negócios, foi concluída a primeira etapa do trabalho de biotecnologias de reprodução com transferência de embriões com produtores de leite dos assentamentos rurais do Pontal do Paranapanema. A parceria entre o Governo de SP, por meio da Secretaria da Justiça e Cidadania e Fundação Itesp, e o Condomínio Rural Canto Porto busca o melhoramento genético dos animais e alavancar a produção leiteira nos assentamentos estaduais.

Nessa primeira etapa o índice de prenhez foi de 43%, considerado excelente pelos técnicos. O número é superior à média mundial que é de 35%, o que demonstra o comprometimento dos produtores e o bom trabalho realizado por todos envolvidos nessa parceria. No total, foram colocados embriões em 75 vacas receptoras e 32 prenhezes foram confirmadas.

Segundo o médico veterinário da Fundação Itesp, Alfredo de Melo, a transferência é um procedimento no qual a receptora é preparada para receber o embrião que é fertilizado em laboratório. “Esse embrião é colocado nas vacas receptoras que foram preparadas com protocolo hormonal. Esse trabalho fizemos há 60 dias e agora a gente retornou para confirmar as prenhezes”, disse.

De acordo com o médico veterinário e diretor comercial da Nova Era Genética Avançada, empresa da Canto Porto, Antonio Vieira, a primeira rodada foi concluída com sucesso. “Em 85% dos produtores já conseguimos entregar a contratação logo na primeira rodada. Defino com êxito esse início do programa. O comprometimento de todos, tanto os produtores quanto os envolvidos no programa, foi fundamental para esse resultado importante”, explicou.

O produtor de leite, Luciano Tavares, do Assentamento Santa Cristina, em Mirante do Paranapanema, não escondeu a felicidade com o término da primeira etapa. De 6 vacas que receberam embriões, quatro ficaram prenhas de fêmeas. “Muito feliz com esse resultado. Estamos sempre buscando melhorar a genética do nosso gado para aumentar a produção e essa parceria serve como um arranque”, falou.

CULTIVANDO NEGÓCIOS

De acordo com o diretor executivo da Fundação Itesp, Claudemir Peres, esse trabalho faz parte do Programa Cultivando Negócios e proporciona um melhoramento genético por meio de técnicas de biotecnologia de reprodução com embriões nos assentamentos estaduais, começando pelo Pontal do Paranapanema, onde a produção leiteira é maior.

“A Fundação Itesp apoia muito essa integração para levar tecnologia até pequeno produtor. Buscamos nesse sentido melhorar a genética e a produção leiteira, garantindo ao produtor um animal de procedência, com alta produtividade e sanidade adequada. E com isso fazemos com que ele tenha desenvolvimento e geração de renda”, concluiu.

ANIMAIS SELECIONADOS

A segunda etapa dos trabalhos será retomada nos dias 08, 09 e 10 de junho. Na oportunidade mais receptoras serão preparadas para receberem o embrião que é fertilizado em laboratório. O trabalho de transferência é realizado com embriões de doadoras da raça Gir e Girolando, fruto de uma seleção cuidadosa que gerou um exclusivo grupo de doadoras, com sêmen sexado dos melhores touros Holandeses.